Uma das palavras que mais ouvimos, neste período de distanciamento social, é Live. Como não podemos frequentar shows de nossas bandas e cantores preferidos, a internet tem nos fornecido essa possibilidade de entretenimento por meio de transmissões ao vivo. A aceitação tem sido expressiva, uma vez que milhares de pessoas assistem às Lives de artistas de diferentes estilos musicais – sertanejo, pop, funk, rock e samba. Além disso, os artistas costumam arrecadar doações para projetos sociais durante as suas transmissões.

Mas, afinal, será que para nos divertirmos em casa – durante o distanciamento social – as únicas opções são as Lives, os filmes e as séries das plataformas de streaming? Quais seriam as outras possibilidades de lazer e de entretenimento cultural, uma vez que é aconselhável que permaneçamos em casa e não frequentemos outros ambientes?

Devido à pandemia, vários espaços culturais, de lazer e de convivência – cinemas, teatros, centros culturais, museus, entre outros – estão temporariamente fechados. Todavia, não nos damos conta de que muitos desses locais permanecem ativos de um jeito diferente. Com o auxílio da internet, eles têm oferecido várias oportunidades de acesso durante esse momento atípico.

Claro que não é a mesma coisa assistir a uma Live musical que ir a um show em um ginásio; ver uma peça teatral pela internet que ir a uma sala de espetáculos; visitar um museu virtualmente que apreciar as obras de artes “in loco”. A expografia das obras, o palco, a arquibancada, a multidão, a vibração do som e a energia por estarmos em um lugar diferente da nossa casa, criam um contexto singular, proporcionando vivências sensoriais únicas. Isso a internet não substituirá. Contudo, não precisamos deixar de nos alimentar culturalmente em tempos de pandemia, pois podemos acessar diferentes conteúdos pela internet com boas experiências.

 Por que, afinal, é importante acessar diferentes conteúdos culturais?

Ao visitarmos uma exposição em um museu ou assistirmos a uma peça de teatro estamos nos divertindo? A resposta é sim! Quando entramos em contato com a Arte em suas mais variadas expressões (música, teatro, artes plásticas, artes visuais), com a História e com as Ciências, temos a oportunidade de nos reconectarmos com a nossa subjetividade e sentimentos. Tudo isso pode nos trazer satisfação, alegria e diversão; além de possibilitar a construção do conhecimento sobre o mundo em que vivemos.

Quanto mais tipos de entretenimento e de experiências culturais, mais ampliamos a nossa visão de mundo. Vale destacar que não precisamos consumir apenas a cultura de massas, pois o mundo virtual – assim como o mundo real – nos oferece uma gama variada de expressões culturais e artísticas.

No caso dos museus, por exemplo, vários disponibilizam visitas virtuais em seus sites para conhecerem os seus acervos, um complemento à visita presencial, já que uma não substitui a outra, pois oferecem experiências diferenciadas. Se o museu está distante da sua casa ou fechado temporariamente, a visita virtual pode ser uma maneira de facilitar a interação.

Mas, afinal, como faço para acessar os conteúdos culturais?

Existem vários museus no Brasil e no Mundo que oferecem visitas virtuais. São museus de Artes, de História, de Ciências Naturais e de Tecnologia. Na página Google Arts & Culture, encontramos alguns deles, como por exemplo, o Museu Nacional do Rio de Janeiro, que foi destruído por um incêndio em 2018. Lá podemos conhecer o crânio da Luzia, fósseis de dinossauros, esculturas da Grécia antiga, artefatos indígenas, dentre outras preciosidades. A página do CCBB, por sua vez, disponibiliza atualmente a exposição “Egito Antigo: do cotidiano a eternidade”. Ao visitarmos exposições de História, por exemplo, podemos refletir sobre diferentes modos de vida em épocas e espaços distintos, o que nos ajuda a compreender os contextos sociais em que vivemos.

Além das visitas virtuais, os museus oferecem, em suas redes sociais, programações culturais, palestras, jogos, desafios, oficinas e diversos conteúdos interativos para todas as faixas etárias. O MASP, por exemplo, realiza no Instagram desafios de desenho para que os seguidores façam releituras de suas obras. O Van Gogh Museum de Amsterdam apresenta, no seu canal do YouTube, tutoriais para que as pessoas possam pintar assim como Van Gogh. Imagine só! Outros espaços culturais também promovem eventos on-line. Isso mesmo! O Cine Theatro Brasil Vallourec, de Belo Horizonte, apresenta peças de teatro e musicais, periodicamente, em seu canal do YouTube.  

Ainda no Instagram, podemos encontrar outras opções de entretenimento, cultura e arte. A página @sescaovivo, por exemplo, conta com uma programação semanal de teatro que atende aos mais diferentes públicos. Já a página @pedagogia.literaria dispõe de uma programação diversificada, destacando as abordagens relacionadas ao movimento negro, à educação e à afetividade, além de ocorrerem lives de contação de histórias destinadas ao público infanto-juvenil.

São dicas de programações que podemos encontrar nas redes sociais dos mais diversos espaços culturais do Brasil e do Mundo. Então, não percam tempo! Comecem a desbravar o mundo virtual e aproveitem os mais variados conteúdos disponibilizados por esses espaços de cultura e lazer.

Afinal, precisamos acessar diferentes meios culturais, pois a arte e a cultura contribuem para a construção de nossos processos subjetivos, emocionais, intelectuais e criativos.  Elas nos proporcionam uma reconexão com nossa humanidade e podem nos ajudar a enfrentar o contexto de pandemia que estamos vivendo. Por isso, valorizem e prestigiem todas as expressões artísticas e culturais. Afinal, cultura importa… e muito!

Links das dicas de programações culturais on-line:

Deixe uma resposta

Atenção! Todos os comentários serão previamente moderados pelo administrador antes de ser publicado oficialmente na página.

Mais em "Blog"