Apresentação:

Prezadas famílias,

Preparamos este material com o objetivo de oferecer ferramentas e ideias simples de estimulação do desenvolvimento infantil, neste momento em que estamos distantes fisicamente. Desejamos que este material inspire as famílias e seja referência de atividades neste contexto ou quando acharem mais adequado.

Toda a atenção que vocês, mãe ou pai, estão tendo nesse cenário com seus filhos é reconhecida, não se pressione ainda mais. Não desejamos isso, pelo contrário, queremos   permanecer próximos, com possibilidades de práticas simples para continuarmos favorecendo o desenvolvimento das crianças, respeitando a rotina de cada família. Muitas dessas estimulações ocorrem naturalmente em casa, e às vezes, não nos damos conta disso. 

Estamos compartilhando muito do que realizamos no dia a dia escolar. As possibilidades são várias e temos certeza de que outras experiências virão da criatividade de cada criança e de cada família.  São sugestões a serem recriadas como uma forma de contribuir e auxiliar no processo de alfabetização, que é construído naturalmente no contato com as diversas linguagens e experiências.

Cada criança tem o seu tempo e o seu ritmo. A criança precisa observar, levantar hipóteses, comparar, criar, estabelecer relações e outras habilidades que naturalmente direcionam à alfabetização de forma lúdica.

A aprendizagem é um processo que ocorrerá durante toda a vida do indivíduo. Nesse momento de tanta sensibilidade, desejamos que fique a compreensão da nossa intenção com esse material: a disposição em ajudar.

Algumas orientações:

  • As atividades são sugeridas aos alunos do Maternal II ao 2° Período. A divisão das propostas por faixa etária não é rigorosa, porque várias delas, propõem habilidades comuns a todas as séries da Educação Infantil. Esse trabalho é um processo contínuo com crianças muito pequenas de avanços e revisões constantes por isso, as famílias devem ficar tranquilas caso elas demonstrem mais dificuldade em alguma atividade.
  • As propostas podem ser utilizadas em vários momentos no decorrer dos dias e das semanas.
  •  É importante desenvolver as atividades em espaços curtos de tempo.
  • A família pode criar rotinas, planejando as atividades sempre no mesmo horário ou em outros momentos, de acordo com a organização e o desejo da família. Muitas práticas podem ser desenvolvidas naturalmente e, às vezes, a criança nem vai perceber.
  • Os materiais utilizados serão aqueles presentes na casa de cada família, materiais simples e adaptáveis. Vale a criatividade para usar o que estiver disponível.

Proposta para crianças do Maternal II e III:

Coordenação motora ampla e orientação espacial e temporal:

  • Explorar aspectos de cada dia: está de dia ou de noite? O tempo hoje está com sol ou está nublado?   Nós já almoçamos hoje? Já jantamos hoje? Estamos antes ou após o meio dia?
  • Andar sobre alguma marcação no chão (em linha reta e em curvas suaves).
  • Andar em pequenos trechos, alternando com pequenos pulinhos.
  • Movimentar os braços, as pernas, a cabeça, sob um comando que poderá ser uma música.
  • Sentar-se, andar em linha arrastando o bumbum pelo chão.
  • Trabalhar o corpo, nomeando as partes principais (cabeça, braços, mãos, pernas).
  • Fazer pequenas brincadeiras de quem consegue vestir determinada roupa primeiro.
  • Identificar algumas partes do corpo (contar os dedos das mãos, dos pés, apontar o nariz, a boca).
  • Reconhecer as cores na natureza e no ambiente da casa.
  • Soprar pedacinhos de papéis na mesa (pode-se fazer uma brincadeira de soprar de um lado da mesa ao outro). 
  • Desenhar livremente: rabiscar papéis diferentes com canetões de cores diferentes.
  • Explorar os membros do corpo nomeando-os em frente ao espelho.
  • Pular de um pé só.
  • Brincar com circuitos de carrinhos pela casa. A pista poderá ser demarcada com fita crepe.

Coordenação motora fina:

  • Imitar gestos das mãos e dos dedos de um adulto: abrir e fechar, levantar um determinado dedinho de cada vez, bater palmas, afastar os dedos, entrelaçá-los.
  • Tampar e destampar potes e vasilhames inquebráveis.
  • Empilhar vasilhas formando torres.
  • Transpor objetos de um vasilhame para outro.
  • Espalhar alguns utensílios e objetos na mesa e pedir para separá-los de acordo com um critério estabelecido como tamanho, cor utilidade, peso.
  • Fazer pintura a dedo com esponjas, com escova de dentes (dar nomes às pinturas feitas enquanto o adulto registra).
  • Fazer colagens com papéis diversos (dar nomes às colagens feitas enquanto o adulto registra).
  • Amassar papéis.
  • Desamassar papéis.
  • Dobrar papéis.
  • Dobrar tecidos em duas partes (fronhas, toalhas de rosto).
  • Organizar objetos do menor para o maior.
  • Rasgar papéis, livremente, ou de forma dirigida (em tiras, ao redor de uma figura grande).
  • Brincar de abrir e fechar pregadores de roupa em superfícies de papel, com a ajuda e supervisão constante de um adulto.
  • Calçar e descalçar com ajuda e sem ajuda de um adulto.
  • Segurar objetos com as duas mãos.
  • Segurar objeto com uma das mãos.
  • Passar um objeto de uma mão para outra.
  • Desatar laços simples.

Exploração de diversas linguagens:

  • Desenhar livremente.
  • Interpretar seus desenhos, dando nomes às produções.
  • Reproduzir desenhos com algum modelo em casa.
  • Folhear página por página, sem amassar.
  • Nomear as diversas figuras que aparecem em cada página. Ao contar a história, o adulto poderá escolher algumas páginas para uma maior exploração (enriquecimento do vocabulário).
  • Imitar os sons de alguns personagens da história.
  • Imitar gestos e sons de alguns animais.
  • Explorar imagens e paisagens naturais em livros ou da internet.
  •  Organizar com a criança pequenas apresentações de teatrinhos com os próprios brinquedos dela (bonecos, carrinhos, bichinhos). Agende um horário para essa apresentação e convide as demais pessoas da casa para assistir. Faça desse momento um pequeno evento.  

 Sugestões de obras literárias

  • Carona na Vassoura-Júlia Donaldson, Alex Scheffler. Editora Brinque-Book.
  • Este é o meu focinho? Cleber Factory. Editora Todolivro.
  • Eu sou grande ou pequeno? Cleber Factory. Editora Todolivro.
  • Coleção Meu Mundinho– Tood Parr. Editora Brinque-Book
  • Jacaré, não. Antônio Prata- Ubu Editora
  • A bruxinha atrapalhada. Eva Furnari- Editora Global
  • Era uma vez um gato xadrez. Bia Villela- Ed Moderna
  • Cadê? Graça Lima. Editora Nova Fronteira.
  • Bem lá no alto. Susanne Straber e Júlia Bussius- Editora Companhia das letrinhas

Proposta para crianças do 1° e 2° Período:

Coordenação motora ampla e orientação espacial e temporal:

  • Andar em linhas retas, em ziguezague, em curvas suaves.
  • Andar e dar pequenos pulos com os pés juntos e com os pés alternados.
  • Andar, pular com os pés juntos, agachar e assim, sucessivamente.
  • Sentar-se, andar em linha arrastando o bumbum pelo chão.
  • Brincar de saltar pequenos obstáculos como caixas, uma almofada, um brinquedo de pelúcia.
  • Fazer pequenas brincadeiras de quem consegue vestir determinada roupa primeiro.
  • Diferenciar gravuras de letras ou números, aleatoriamente.
  • Reconhecer cores na natureza e no ambiente da casa.
  • Desenhar labirintos em uma folha para a criança colorir o caminho da saída.
  • Relembrar com a criança o que fizeram no dia de hoje.
  • Relembrar o que fizeram ontem.
  • Projetar com a criança o que farão amanhã.
  • Descrever as características de alguns objetos (cor, tamanho grande ou pequeno, maior ou menor, longo ou comprido. Peso leve ou pesado e outros) comparando-os com outro objeto.
  • Identificar algumas características de uma planta que tiver em casa (partes, cores, tamanho). Mostrar em literaturas ou imagens da internet cenários de jardins, florestas, flores, pomares.
  • Equilibrar objetos simples, inquebráveis em alguma parte do corpo (cabeça, braço, mãos) e caminhar.
  • Pular de um pé só.

Coordenação motora fina:

  • Tampar e destampar potes e vasilhames inquebráveis.
  • Enroscar tampas de vasilhames.
  • Empilhar objetos formando torres.
  • Espalhar alguns utensílios e objetos na mesa e pedir para separá-los de acordo com um critério estabelecido como tamanho, cor utilidade, peso.
  • Pedir que agrupem determinado conjunto de objetos e materiais de acordo com a quantidade que o adulto falar, como por exemplo, 1 (um) conjunto com 3 (três) colheres. Outro conjunto com 5 (cinco) blusas. Um conjunto com 10 (dez) lápis.
  • Dispor objetos diferentes e pedir a criança para classificá-los quanto a textura, a forma, o material da estrutura e a utilidade.
  • Fazer pintura a dedo com esponjas, com escova de dentes (dar nomes às pinturas feitas enquanto o adulto registra.)
  • Fazer colagens com papéis e materiais diversos (dar nomes às colagens feitas enquanto o adulto registra.)
  • Calçar e descalçar com ajuda e sem ajuda de um adulto.
  • Segurar objetos com as duas mãos.
  • Segurar objeto com uma das mãos.
  • Passar um objeto de uma mão para outra.
  • Desatar laços simples.
  • Dar laços em calçados.
  • Enrolar e desenrolar objetos, com papéis ou tecidos.
  • Reconhecer cores na natureza e no ambiente da casa.
  • Transpor objetos de um vasilhame para outro, sem deixar cair.
  • Amassar papéis.
  • Desamassar papéis.
  • Fazer colagens com bolinhas de papel.
  • Estimular o desenho do corpo, da forma que a criança o percebe. O adulto pode chamar-lhe atenção para algumas partes do corpo (contar os dedos das mãos, dos pés, apontar o nariz, a boca).
  • Fazer canudinhos com folha de jornal ou outro papel.
  • Fazer dobraduras.
  • Dobrar tecidos em duas e mais partes (toalhas de rosto, fronhas, blusas)
  • Dobrar algumas peças de roupas.
  • Rasgar papéis em pedaços pequenos.
  • Agarrar objetos pequenos com as pontas dos dedos e colocá-los em potes, latas ou vasilhames de orifício estreito.
  • Abotoar camisas, blusas, casacos.
  • Desabotoar camisas, blusas, casacos.
  • Abrir e fechar fechos de roupas ou de bolsas e mochilas com a supervisão constante do adulto.
  • Fazer alinhavos com barbantes ou lãs em papéis furados pelo adulto, com supervisão.
  • Apontar lápis.
  • Abrir e fechar a tesoura em papéis finos, com supervisão constante de um adulto.
  • Recortar papéis livremente, com supervisão constante do adulto.
  • Recortar, com a supervisão constante do adulto, papéis de forma dirigida (seguindo uma linha reta, em curvas suaves e ao redor de uma gravura)
  • Coordenar o lápis ou canetão no papel incentivando a criança a registrar da esquerda para a direita, na direção da escrita.
  • Pedir que a criança abra e feche caixas diversas com a mão direita e com a mão esquerda.
  • Dois copos, um com água e outro sem. A criança deverá passar de um para o outro sem deixar derramar.

Exploração de diversas linguagens:

  • Ao contar uma história, nomear as diversas figuras que aparecem em cada página.  O adulto poderá escolher algumas páginas para uma maior exploração.
  • Pedir que a criança dê outros nomes para os personagens.
  • Quantificar os personagens de uma cena ou história.
  • Contar lentamente, as páginas de alguns livros.
  • Recontar histórias para desenvolver a capacidade de ouvir e apreender as ideias principais do texto.
  • Pedir que a criança dê outro final para a história.
  • Pedir que a criança dê outro título para a história.
  • Estimular que a criança conte uma história enquanto o adulto registra. Depois, você pode pedir para a criança ilustrar a história.
  • Pedir à criança para fazer a reescrita de uma história com desenhos e colagens.
  • Fazer mímicas para que a criança descubra o que é. Pedir à criança que faça mímicas para o adulto descobrir.
  • Incentivar que a criança crie frases orais com as imagens mostradas pelo adulto. Caso seja possível, pedir que o adulto registre essas frases para valorizar a oralidade dela.
  • Brincar de completar frases ou pequenos textos. Exemplo: Vamos fazer uma viagem ao alto de uma montanha.

O que devemos levar? ____________.

Com qual tipo de roupa devemos ir? _______________.

Chegando lá, aconteceu _______________.

E assim, até chegarem ao destino final da viagem.

  • Brincar de rimas.
  • Brincar de história muda.
  • Explorar imagens e paisagens naturais e modificadas pelo homem, em livros ou da internet.
  • Imitar sons de animais e da natureza (trovão, chuva, mar).
  • Observar se a criança consegue diferenciar o sabor doce, do salgado, do azedo. Brincar de degustar sabores durante algumas refeições.
  • Convidar a criança para fazer pequenas apresentações de teatrinhos com os próprios brinquedos dela (bonecos, carrinhos, bichinhos). Agende um horário para esta apresentação. Faça desse momento um pequeno evento.
  • Um adulto começa a história, a criança continua, depois o adulto e assim por diante.

Sugestões de obras literárias

  • Qual é a cor do amor? Linda Strachan. Editora Brinque-Book.
  • O bichinho da maça e coleção Bichim. Ziraldo. Editora melhoramentos.
  • A bruxinha atrapalhada. Eva Furnari- Editora Global.
  • A Joaninha que perdeu as pintinhas. Ducarmo Paes. Editora Signo.
  • A festa no céu. Ângela Lago. Editora FTD.
  • Quer brincar? Eva Furnari. Editora FTD.
  • O Macaco e a mola. Sónia Junqueira. Editora Ática.
  • Papo de sapato. Pedro Bandeira e Ziraldo. Editora Melhoramentos.
  • A Casa Sonolenta. Audrey Wood. Editora Ática.
  • Era uma vez um gato xadrez. Bia Villela-Ed Escala educacional .
  • As cores de Mateus. Marisa López Soria – Editora Ever.

Considerações finais:

A felicidade é também a capacidade de lidar com as incertezas da vida, reconstruindo significados. Tudo isso é aprender.

“E aprender é sempre adquirir uma força para outras vitórias, na sucessão interminável da vida. “ Cecília Meireles

Referências Bibliográficas:

  • Almeida, Geraldo Peçanha de.

   Teoria e prática em psicomotricidade: jogos, atividades lúdicas, expressão corporal e brincadeiras infantis; Geraldo Peçanha de Almeida. – 6. ed. RJ: Wak Ed., 2009.

  • Antunes, Celso.

   Jogos para estimulação das múltiplas inteligências. Petrópolis: Vozes: 2008.

  • Portilho, Evelise.

   Como se aprende? Estratégias, estilo e metacognição/ Evelise Portilho. -2. Ed. Rio de Janeiro: Wak Ed., 2011.

  • Siegel, Daniel J.

   O cérebro da criança: 12 estratégias revolucionárias para nutrir a mente em desenvolvimento do seu filho e ajudar sua família a prosperar / Daniel J. Siegel, Tina Payne Bryson; [tradução Cássia Zanon]. – 1.ed. – São Paulo : nVersos, 2015.

Atenciosamente,

Cláudia Cunha Correia Gonçalves – Coordenadora Pedagógica do Período Complementar Integral            

Anna Paula Jorge Jardim  – Vice-diretora – Floresta

Valéria Alves da Silveira – Vice-diretora – Pompeia

Irmã Eliane Viana Oliveira – Diretora  

Irmã Vânia Duque Sobrinho – Presidente da Congregação de São João Batista     

                                                                                                                                                                                                 

Este post tem um comentário

  1. Maravilhoso o artigo!!! Apesar de estarmos vivendo um momento de incertezas, o nosso lar é o lugar mais seguro para enfrentarmos essa guerra..aliás, que privilégio o nosso lutar , estando em nossos lares…em nenhuma outra guerra soldados combateram seus inimigos no aconchego de duas casas..que Deus abençoe que tudo volte ao normal, mas o nosso lar será sempre um ninho sagrado!!!

Deixe uma resposta

Atenção! Todos os comentários serão previamente moderados pelo administrador antes de ser publicado oficialmente na página.

Mais em "Blog"