No terceiro artigo sobre “Mitos e verdades sobre a ciência”, trataremos da funcionalidade de algumas medidas de higiene e o cuidado que devemos ter com os pets diante da Covid-19.

Do sabão ao álcool, dos pets às pessoas: Mitos e verdades

Mito 1 – Manter pets em casa é um risco para a família?

Mito! Infelizmente, informações escassas e isoladas sobre animais infectados pelo SARS-CoV-2, podem ter consequências sérias. No dia 17 de abril, foi produzida uma matéria pela BBC News, que relatou eventos de abandono em massa de animais de estimação em países árabes, temerosos com a transmissão da doença. Ainda, no Brasil, vídeos circularam pelas redes sociais defendendo testes em animais contra o vírus, como forma de reduzir a transmissão. Essas atitudes foram ocasionadas por medo e ignorância.

O que você precisa saber:

Até 22 de abril, por meio de dados obtidos e divulgados, foram contaminados 5 (cinco) tigres e 3 (três) leões em um zoológico de Nova Iorque, gatos na China e na Bélgica, e um cachorro também na China. A maioria dos animais diagnosticados estão bem ou já se recuperaram. O cachorro, que já apresentava idade avançada e uma série de outros problemas crônicos de saúde, infelizmente faleceu. Porém, foram essas as prováveis causas, e não o vírus, segundo as autoridades de saúde locais.  A cidade de Nova Iorque é a maior metrópole do mundo e vale dizer que os Estados Unidos são hoje, o país com maior número de casos da doença.

E sobre passear com os pets? O ideal é adotar os mesmos cuidados de isolamento social, como por exemplo, evitar aglomerações, contato com outras pessoas e animais. Ao retornar para casa, providenciar a higienização do animal.

E sobre realizar testes laboratoriais em animais? Não é justificável e no Brasil, está faltando material de teste para a detecção do vírus em humanos, obrigando, inclusive, as autoridades a adotarem medidas mais eficazes de isolamento e quarentena.

Mito 2 – O sabão e o álcool só destroem os micro-organismos?

Mito! Há uma questão interessante para reflexão: a maioria das pessoas já sabe que o sabão e o álcool dissolvem os lipídios dos envoltórios virais e das bactérias. Mas, algumas pessoas perspicazes ainda questionam: se nossas próprias células também possuem membrana lipídica, o que impede o álcool de destrui-las?

A resposta está na ponta da língua, ou seja, na ponta dos dedos…  a queratina! Toda a pele humana, e não apenas unhas e cabelos, é revestida por uma camada de proteína, a queratina, que serve como barreira protetora. Ela evita o contato do álcool e outras substâncias com as células vivas. As mucosas não possuem essa barreira, sendo esse o motivo de enxaguantes bucais que contêm álcool, como o “listerine”, provocarem a conhecida sensação de ardor. Ainda assim, o uso excessivo de álcool e sabão agride um pouco as células da pele queratinizada, provocando um aspecto ressecado na mesma. O que não é motivo para deixar de se proteger! Interessante né?

Deixe uma resposta

Atenção! Todos os comentários serão previamente moderados pelo administrador antes de ser publicado oficialmente na página.

Mais em "Blog"

Petrópolis e as chuvas

Petrópolis e as chuvas: Uma questão de caráter histórico Petrópolis fica localizada no norte do estado do Rio de Janeiro numa área de Mata Atlântica

Leia Mais »

Impresa ou cursiva?

A escolha pelo tipo de registro da palavra está relacionada ao processo de construção das possibilidades de escrita e interação entre “aluno” e “palavra” enquanto

Leia Mais »